sábado, 14 de novembro de 2009

Identificação Sexual

Começamos a semana a falar sobre quem somos. Como nos chamamos. Os nomes de menina, os nomes de menino. O que é igual nas meninas e nos meninos, o que é diferente. Também aprendemos que as meninas, raparigas, mulheres, são do sexo feminino. Os meninos, rapazes, homens são do sexo masculino.
Que nos animais diz-se de outra maneira, são os machos e as fêmeas. Que há animais que o nome muda, por exemplo, Vaca/Boi e que outros não como por exemplo, o elefante, que se diz macho elefante ou fêmea elefante.
Descobrimos que os nossos órgãos genitais são a maior diferença (nesta idade). Que nos meninos a pilinha também tem o nome de pénis e que nas meninas o pipi também tem o nome de vagina. E todos já sabiam que só as mães é que podem ter bebés, porque tem dois óvulos (ovos como eles disseram) e que os pais têm as sementes nos testículos (texiculos disseram eles). Este assunto foi abordado de forma natural, sem preconceitos e com interesse e curiosidade por parte das crianças. Esta temática faz parte do crescimento da criança e o conhecimento que a criança tem do seu corpo, das possibilidades deste, a consciência de si mesmo, é uma aprendizagem contínua.
As imagens que se seguem foram apresentadas na sala e encontram-se expostas.
Posteriormente as crianças elaborarão um trabalho onde cada uma terá de vestir a sua figura, aquela que se relaciona com a sua identificação sexual. Mas como na próxima semana iremos dar inicio aos trabalhos relacionados com a temática do Natal, provavelmente só voltaremos a este tema em Janeiro.
Imagem de uma figura do sexo feminino

Imagem de uma figura do sexo masculino

Ficha de trabalho " Fazer uma linha fechada de cor verde para as figuras do sexo feminino/meninas e fazer uma linha fechada de cor laranja para as figuras do sexo masculino/meninos."



Ficha de trabalho: "Quantos meninos há na nossa sala?", "Quantas meninas há na nossa sala?"


Fizemos jogos explorando esta temática. Cada menino teve de dar a mão a uma menina e observar quem ficava sem par. Nesta fase descobrimos que um menino ficava sem par, concluindo então que havia mais meninos que meninas ou que havia menos meninas que meninos. (neste dia não estavam todos presentes, há crianças a faltar por motivo de doença).

Contar os meninos, contar as meninas, quantos são...? (ao todo na sala)

Cada menina tinha uma peça de lego encarnada, cada menino tinha uma peça de lego amarela com as quais construimos duas "torres", verificando-se que a "torre" amarela tinha mais duas peças que a encarnada. Concluindo que na nossa sala há mais meninos que meninas, dois, ou que há menos duas meninas. Ao todo são treze meninas e quinze meninos. Agora vamos ser capazes de colocar isso por escrito, ou melhor em desenho?? Claro que sim, com o apoio da educadora lá foram contando e acrescentando tantas bolinhas ou círculos quantos são os meninos e as meninas.


Estes trabalhos desenvolvem, o raciocínio lógico mental, a cooperação, formulam-se questões, põem-se hipóteses, experienciamos,buscamos resultados,o sentido de número, a aprendizagem da quantificação, a contagem, as noções matemáticas "mais" do que, "menos" que, o controle óculo-motor, a motricidade fina, a possibilidade dos objectos...

1 comentário:

  1. Conversa da Marta às 23h
    Mamã: os pais têm o ovo, as mamãs a barriga. Tu nasceste também de um ovo? Mas tu não és galinha, pois não?

    ResponderEliminar